Masturbação feminina ainda é um tabu; veja dicas para se conhecer melhor

Na minha experiência no consultório, o número de mulheres que nunca se masturbaram ou até mesmo olharam ou tocaram a região vaginal ainda é muito alto. Por definição, a masturbação é o ato de estimular os órgãos genitais, manualmente ou por meio de objetos, com o intuito de obter prazer sexual. O termo masturbação foi formado pela junção das palavras do latim manus, que significa “mãos”, e turbari, que significa “esfregar”, para significar “esfregar com as mãos”. Você pode pensar que essas mulheres devem ser de mais idade, mas não é o caso. A maioria não tem nem 40 anos, o que pode nos trazer uma reflexão importante. O discurso das mulheres vem mudando, elas estão aparentando estar mais livres e menos machistas, porém no dia-a-dia ainda existe uma repressão sexual muito grande. Na prática, hoje, muitas mulheres ainda não se masturbam e quando o fazem não comentam com ninguém, muitas tem vergonha. E mesmo conversar sobre o assunto com suas parcerias ou mesmo com as amigas também não é tão comum.

A masturbação feminina ainda é um tabu. Ainda existe um preconceito de que é errado a mulher se masturbar, ou seja, buscar prazer por ela mesma. A origem desses preconceitos, apesar de muitas vezes não ser consciente, é de que o sexo é apenas para procriação e não para prazer, e quando ele é para prazer é apenas para o homem. Para ilustrar o que estou falando, foi somente no final do século XX que os profissionais de saúde chegaram ao consenso de que a masturbação era normal. Antes disso, acreditava-se erroneamente que era doença ou pecado.

Hoje, nós, especialistas em sexualidade, consideramos a masturbação algo saudável, tanto para homens quanto para mulheres. Vemos como uma forma de autoconhecimento corporal que pode levar a uma sexualidade mais feliz, pois as pessoas que conhecem seu corpo sabem onde e como sentem mais prazer, podendo levar esta autodescoberta para os seus relacionamentos. Como se não bastasse, a masturbação é também uma maneira de descarregar tensões acumuladas e uma excelente forma de se ter prazer. Com frequência, é através da masturbação que as mulheres aprendem a chegar ao orgasmo. E com este aprendizado a respeito de si mesma, ela pode ensinar o(a) seu(sua) parceiro(a). A maioria das mulheres que nunca se masturbou também nunca chegou ao orgasmo.

Além de todo esse tabu e repressão, um outro motivo que ouço com frequência no meu consultório para as mulheres não se masturbarem, dito de maneira até mesmo envergonhada, é de que, no fundo, elas não sabem bem o que fazer e como fazer, ou seja, não tem ideia de como se masturbar. Por isso eu aproveito para trazer algumas informações e dicas para as mulheres aprenderem a se masturbar, e possivelmente chegar ao orgasmo.

  • Escolha um lugar tranquilo e apropriado: escolha um lugar onde possa ficar sozinha, sem medo de ser interrompida. Um local no qual você se sinta bem, segura e relaxada. Normalmente o quarto (cama), o banheiro (banheira) ou sala (sofá) são boas opções.
  • Conheça o seu corpo: pegue um espelho e olhe a sua região vaginal, conheça-se, toque-se. Saiba o que é o que, onde fica cada parte, como funciona. Um grande aliado será o clitóris, protuberância mais sensível e normalmente de maior prazer. Veja detalhadamente imagem a baixo.

pudendo-feminino

Obs: as “glândulas de Bartholin” são também conhecidas como “glândulas vestibulares” e são as principais responsáveis pela lubrificação.

  • Prepare o ambiente e a sua cabeça: como já comentei sobre o tabu da masturbação e as inibições a respeito do tema, prepare a sua cabeça, foque o seu pensamento nos benefícios dessa autodescoberta, do seu prazer, do seu momento, de aprender a chegar ao orgasmo e poder compartilhar isso com a sua parceria. Prepare o ambiente, deixe uma iluminação mais baixa, coloque uma música que goste, velas aromatizadas podem ser uma boa opção também. Se gostar de alguma loção hidratante, passe devagar pelo seu corpo. Prepare-se para um momento prazeroso e erótico com você mesma.
  • Crie um momento sensual: quando falamos em orgasmo, sabemos que existe um processo para “chegar lá”, tecnicamente chamado de “ciclo de resposta sexual”. De forma simplificada, ele começa pelo desejo sexual, que leva à excitação sexual, que vai aumentando aos poucos até chegar no clímax (orgasmo), finalizando com o relaxamento. Sendo assim, é importante que a masturbação não seja apenas um toque mecânico, afinal de contas a excitação precisa ir aumentando gradativamente. Para isso, você pode usar fantasias sexual, contos eróticos, vídeos eróticos ou pornográficos, ou o que preferir. Seja como for, entre neste mundo sexual, sensual e erótico, que certamente a sua masturbação será muito mais prazerosa.
  • Tempo: muitas mulheres já me disseram que tentaram e não sentiram nada. Ao lhes perguntarem quanto tempo tentaram, a resposta mais comum que ouvi foi toquei um pouco e parei. Como comentei acima, é preciso que o desejo e excitação aumentem, então é necessário dedicar tempo a esse toque, e não apenas segundos ou alguns minutos. Tenha paciência.
  • Toques: os toques podem ser os mais variados. Comece usando a sua mão e dedos. Passe por toda a vulva, lábios, vagina, clitóris. No clitóris, toque-o devagar, não aperte muito, pois isso pode ser incomodo, já que ele é bastante sensível. Experimente toques, intensidades e velocidades diferentes. Você pode usar os dedos para penetrar a vagina ao mesmo tempo que toca o clitóris. Você pode experimentar também o toque indireto do clitóris, por cima da calcinha por exemplo. Pode também usar um objeto, como por exemplo o travesseiro roçando por cima da calcinha ou diretamente. Você pode optar também pelo uso de vibradores para clitóris e para penetração na vagina também.
  • Pratique: como tudo na vida, é através da prática que chegamos a excelência! Lembre-se de tudo que você já aprendeu até hoje, cada coisa teve o seu tempo, umas mais e outras menos, mas com certeza, todas exigiram alguma prática. A masturbação é a mesma coisa. Pratique, pratique e pratique.

Cada um é único, portanto somente você poderá saber qual é a melhor maneira, o melhor toque, melhor lugar. Você é a melhor conhecedora de você mesmo. Agora, se a masturbação, o orgasmo, o desejo, qualquer coisa em relação a sua sexualidade é difícil demais para você e está te trazendo problemas, não hesite em procurar a ajuda de um terapeuta sexual. A sexualidade é para ser bem vivida!

Agora que você conhece mais sobre este assunto, mãos à obra! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *